In�cio
Bom Noite! - Hoje é Segunda-Feira, 19 de Agosto de 2019
Hora Certa; 00:53


Produtores pedem o fim do Fethab no milho

Movimento reuniu cerca de 1.500 pessoas em Cuiabá. Além do fim da taxação do milho, classe produtora também reivindica a aplicação do Fundo em infraestrutura

Publicado 17/05/2019 - 15:19 e atualizado 17/05/2019 - 15:44
Por: Redação

Produtores rurais de Mato Grosso participaram na última quarta-feira (15) de um manifesto no Centro Político Administrativo (CPA), em Cuiabá, para cobrar do governo do Estado e também dos deputados estaduais a extinção da cobrança do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) do Milho, e a destinação de 100% do Fethab para aplicação em infraestrutura e habitação.

O movimento denominado Mato Grosso Forte foi promovido pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) e reuniu cerca de 1.500 produtores de todas as regiões do Estado, mobilizados pelos 24 núcleos da Aprosoja.  Ao longo do dia, a comissão do Movimento foi recebida pela presidente da Assembleia Legislativa em exercício, deputada Janaina Riva, e demais deputados estaduais, e também pelo governador do Estado, Mauro Mendes.

Em ambas situações, os produtores liderados pelo presidente da Aprosoja-MT, Antonio Galvan, apresentaram uma carta de reivindicações aos poderes contendo itens que impactam não apenas o setor agrícola, mas a sociedade em geral.

“Com certeza esse é um grito que estava engasgado na garganta dos produtores de soja e milho de Mato Grosso, do pequeno e do médio produtor. São eles que a Aprosoja ouve e representa. Portanto organizamos todo esse movimento pra sermos ouvidos pelos nossos deputados estaduais e pelo nosso governador. Chega de desviar os recursos do Fethab, nós precisamos de estradas para escoar nossa produção, nós precisamos de pontes. E as estradas não são somente para o produtor rural, é para as crianças que se deslocam para escola, para o doente que precisa sair do pequeno distrito e ir até um hospital melhor, localizado na Capital ou em uma cidade polo. Então essa é uma luta de toda sociedade”, disse Galvan.

O núcleo da Aprosoja de Tapurah contou com a presença de 88 produtores de Tapurah, Itanhangá, Porto dos Gaúchos e Nova Maringá. Para o coordenador do núcleo, Marusan Ferreira Barbosa, a participação dos produtores no manifesto deixou a diretoria da Aprosoja satisfeita.

“Os produtores entenderam o nosso chamado para participar deste movimento importante para a nossa classe produtora e vieram em bom número, nos surpreendemos com a participação de quase 90 produtores do nosso núcleo e estamos muito satisfeitos com esta participação. Isso mostra que realmente o produtor está preocupado com esta taxação e respondeu positivamente ao chamado para vir somar com a gente e tentar reverter esta situação. Agora esperamos um resultado positivo deste movimento com a derrubada da cobrança do Fethab do milho pelo governador Mauro Mendes. A nossa luta continua, sendo que hoje foi dado o primeiro passo, agora vamos ficar vigilantes acompanhando até que as nossas reivindicações sejam atendidas”, frisou.

Presente no Movimento, o prefeito de Itanhangá, Edu Pascoski ressaltou que o Agronegócio é o grande responsável por carregar a economia do estado de Mato Grosso e que a luta dos produtores é legítima. “Taxar algumas coisas do agronegócio aonde os produtores tem prejuízo fica bastante difícil para a classe produtora. A gente entende as razões deste movimento e eu acredito que esta causa é de toda a sociedade e precisa sim ser discutida com os Poderes Executivo e Legislativo do Estado uma flexibilização para que todos estejam contentes e continuam contribuindo com o desenvolvimento do nosso Estado”, pontuou. 

Deputados recebem integrantes do movimento

Parlamentares se comprometeram a discutir a demanda junto ao governo do Estado

Ingridy Peixoto

Agricultores e diretores da Aprosoja foram recebidos por deputados na Assembleia Legislativa. Eles reivindicaram o fim da taxação do milho. Além disso, também pediram a aplicação do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (FETHAB) em infraestrutura, como a recuperação e pavimentação de estradas.

As demandas foram ouvidas por diversos parlamentares. Participaram do encontro os deputados Carlos Avallone (PSDB), Dr. Eugênio (PSB), Dilmar Dal Bosco (DEM), Janaina Riva (MDB), Max Russi (PSB), Nininho (PSD), Silvio Fávero (PSL), Ulysses Moraes (DC) e Valmir Moretto (PRB).  Todos consideraram justa a mobilização e se mostraram dispostos a debater o assunto.

Segundo a presidente da ALMT em exercício, deputada Janaina Riva, os deputados já discutiam a possibilidade de reaver o Fethab do milho. “Mas essa proposta precisa ser enviada pelo Governo do Estado, uma vez que a Assembleia não pode interferir no orçamento”, explicou a deputada, que garantiu que os deputados vão articular o debate com o Executivo. Ela também disse que passará a ser obrigatório que os municípios prestem contas dos recursos que recebem do Fethab à Secretaria Estadual de Infraestrutura e Logística.  

O líder do governo, deputado Dilmar Dal Bosco, lembrou que o Novo Fethab foi proposto para ajudar a cobrir o déficit do estado. “Eles [produtores] estão corretíssimos em cobrar, mas infelizmente o estado passa por uma dificuldade. Precisamos atender a reinvindicação, achar um bom encaminhamento e [ver] como nós vamos suprir esses 150 milhões de reais [em 2019] que estavam previstos para arrecadação”, defendeu o parlamentar. Dal Bosco acredita que o impasse pode ser resolvido junto ao governo e falou sobre a possibilidade de edição de um decreto do Poder Executivo. “Talvez, por entendimento do governo, um decreto possa suprir a necessidade de uma lei aprovada pela Assembleia”, completou Dal Bosco.

NO PALÁCIO PAIAGUÁS

Governador recebe reivindicações de produtores e vai analisar a pauta

Durante a reunião, o governador expôs a situação econômica do Estado e todas as ações que já foram tomadas até o momento para reduzir a máquina pública e buscar o equilíbrio fiscal.

Laice Souza 

O governador Mauro Mendes e os secretários da Casa Civil, Mauro Carvalho, de Fazenda, Rogério Gallo e Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti, se reuniram com um grupo de representantes da Aprosoja.

Após três horas de reunião, o governador recebeu uma carta de reivindicações do setor do agronegócio. O principal tópico da carta era o fim da cobrança do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) do Milho, e a destinação de 100% do Fethab para aplicação em infraestrutura e habitação. 

No documento, os produtores também requerem a adequação de medidas concretas para reduzir a máquina pública e a desburocratização de setores como a SEMA, Sefaz, Indea e Intermat.

O Governador destacou que irá analisar todos os itens da pauta de reivindicações. “O compromisso que fiz foi de analisar toda a pauta, e até o fim do mês, apresentar a posição do governo. Daremos uma resposta se será possível ou não atender aos pedidos. Se não for possível, vou dizer um não”, destacou.

Durante a reunião, o governador expôs a situação econômica do Estado e todas as ações que já foram tomadas até o momento para reduzir a máquina pública e buscar o equilíbrio fiscal.

“O esforço para cortar despesas é enorme, porque não dá para continuar fazendo de conta que os problemas não existem. Ao apresentar a realidade dos fatos de forma transparente, muitas pessoas já entenderam a situação do Estado e estão dispostas a ajudar. O que estou fazendo é tomando medidas para salvar Mato Grosso”, disse.

 

 



Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link acima ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos e vídeos deste site (Jornal Caiabis) estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral - LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998. Não reproduza esta matéria em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do Jornal Caiabis, por escrito.



LEIA TAMBÉM






CADASTRE-SE

Você poderá receber nossos informativos e notícias importantes.

FORMULÁRIO DE CADASTRO

FALE COM A REDAÇÃO

Você tem alguma reclamação ou elogio, sugestão matérias ou informar um fato?

ABRIR UM CHAMADO


Copyright © 2019 - Todos os direitos reservados

Este website foi desenvolvido e é hospedado por: